Planservice
Área Restrita English Português

Notícias - Gerenciamento de Projetos e Obras

Como o retrofit pode agregar valor a um empreendimento?

13/12/2017

Um projeto de reforma, em muitas situações, pode ser mais viável financeiramente, além de proporcionar prazos menores e preservar as características do imóvel original

Um hotel extremamente deteriorado, que não poderia ser desativado por fazer parte do patrimônio utilizado para pagar os benefícios de mais de 34.000 participantes de um fundo de previdência. Neste cenário, o que fazer: reformar ou demolir e começar tudo do zero?

O estado em que o Vila Business Hotel Volta Redonda, antigo Sider Palace Hotel, se encontrava prejudicava muito a experiência não somente dos seus hóspedes, mas de todos os frequentadores de lojas e salas comerciais que também se localizam no mesmo edifício. Então, depois de uma avaliação minuciosa, a CBS Previdência chegou à conclusão de que, financeiramente, valeria mais a pena realizar o retrofit – ou seja, reformar inteiramente o imóvel –, até porque as lojas e sobrelojas abrigavam negócios estabelecidos que não poderiam sofrer descontinuidade. “Uma das principais vantagens foi o tempo razoavelmente curto de fechamento do negócio e de execução das obras, possibilitando um retorno mais rápido à operação”, diz Edgar Grassi, Diretor de Administração e Benefícios da CBS Previdência.

Foi uma decisão acertada. Com a modernização das instalações e revitalização do entorno, vários negócios de terceiros e da própria CBS foram alavancados como, por exemplo, a locação de lojas que há muitos anos estavam em vacância. Também trouxe à localidade um novo conceito em construção, além de recuperar uma área deteriorada, que hoje se tornou ponto de referência na cidade pelo seu projeto paisagístico, que tem grandes possibilidades de se tornar um importante polo gastronômico em Volta Redonda. “Em relação ao meio ambiente, o projeto possibilitou maior economia de água e energia, pela modernização de suas instalações e de aparelhos de ar-condicionado, entre outros”, acrescenta Grassi. Neste contexto insere-se também a baixa geração de resíduos de um retrofit, comparado à uma demolição e reconstrução.

As melhorias impactaram também na taxa média de ocupação do hotel, que antes girava em torno de 25%, com diária de R$ 110,00. Atualmente, a taxa média de ocupação chega a ser de 42% e o valor da diária varia entre R$ 180,00 e R$ 220,00. “Acreditamos que o retorno do investimento se dê em 10 anos”, completa Grassi.

Para ele, a contratação de uma gerenciadora foi preponderante para o sucesso do retrofit, uma vez que a entidade não teria profissionais qualificados para acompanhamento e resolução de problemas técnicos comuns a todas as obras. “Acreditamos que a gerenciadora deve ter profissionais qualificados, processos estruturados de acompanhamento de todas as etapas do processo, bem como pontualidade no reporte de problemas e soluções aos clientes”, afirma. “A PLANSERVICE e seus profissionais foram importantíssimos para o sucesso do projeto, atuando com pontualidade, competência e comprometimento durante todo o processo.”


Artigos Relacionados

Assine a Newsletter

Se mantenha informado via e-mail, sobre os novos artigos da Planservice

Tags

#Gerenciamento #planejamento #planejamentodeobra #fiscalizacao #gestaodeprojetos #PMO #PMI #duedilligence #prazo #valoragregado #investimento #investimentos #investimentoimobiliario #fundosdeinvestimentos #investimentosimobiliarios #SucessoNoInvestimento #investimentoseguro #procurement #engenhariadecusto #controladoria #orcamentacaoecusto #licitacoesdeobra