Planservice
Área Restrita English Português

Notícias - BIM

Como fazer uso do BIM 4D no planejamento de obras

28/08/2015
O uso do BIM (Building Information Modeling) para desenvolvimento de projetos tem crescido, indo além de funcionalidades mais comuns, como a geração de modelos virtuais tridimensionais e a possibilidade de verificação de interferências nos projetos (clash detection). Estamos caminhando para a integração com as ferramentas de planejamento, o chamado BIM 4D, no qual, além das três dimensões espaciais, é acrescida a variável tempo, possibilitando incorporar ao modelo o cronograma, o histograma de mão-de-obra, sequência de obra e fases de implantação.
 
Com a inserção das informações de planejamento no modelo BIM, é possível visualizar virtualmente e mais facilmente a progressão da obra, antecipando decisões que seriam tomadas em etapas posteriores. É possível realizar simulações de logística de canteiro, solucionar conflitos entre serviços, definir a quantidade de operários necessários para realização das atividades, além de estudar a locação de gruas, cremalheiras e outros equipamentos, verificando sua interface com a logística e a execução das fachadas. A integração do modelo 3D com o cronograma aumenta a eficiência de obras industrializadas, pois permite programar com maior precisão as entregas de elementos pré-fabricados.
 
O BIM 4D pode ser bastante flexível, dependendo do grau de detalhamento, que depende da intenção do usuário: uma parede pode ser modelada como elemento único ou com seus diferentes componentes. Para que tudo isso funcione é necessário um grupo de softwares que “conversem” entre si e que haja um trabalho integrado das equipes de projeto, planejamento e orçamento. Esta metodologia pode ser aplicada tanto em pequenos como em grandes empreendimentos. Em áreas pequenas, o modelo 4D facilita o dimensionamento e coordenação do fluxo de trabalho das equipes de mão de obra. Em empreendimentos maiores e mais complexos, a antecipação de interferências e simulação de atrasos/problemas evita atrasos e gastos imprevistos ao longo da obra.
 
Ao desenvolver o modelo 4D, é prudente simular diferentes cenários para visualizar o impacto no processo e desenvolver possíveis planos de contingência. Pode-se também simular diferentes planos de ataque, verificando qual é o melhor caminho para a execução das obras. Ao combinar um modelo 3D com sua evolução ao longo do tempo, o BIM 4D apresenta a sequência executiva de forma mais eficiente do que um diagrama de Gantt tradicional. O resultado é bastante visual, o que facilita a troca de informações com as partes envolvidas que não sejam da área de projetos/construção.
 
Algumas construtoras estão fazendo experimentos, aproximando o BIM dos canteiros de obra, com a equipe de obra atualizando as informações obtidas de cada frente de trabalho (progresso das atividades, efetivo em cada etapa, produtividade). Com estas informações em tempo real, as equipes de planejamento conseguem agilizar a tomada de decisão e adotar um plano de ação mais efetivo, reduzindo o impacto nos cronogramas.
 
Paralelamente, também ocorrem experiências em direção ao BIM 5D, que integra a variável custo ao modelo, permitindo gerar quantitativos e orçamentos.
 
 

A Planservice está utilizando metodologia BIM no empreendimento Shopping Cosmopolitano. 


Artigos Relacionados

Assine a Newsletter

Se mantenha informado via e-mail, sobre os novos artigos da Planservice

Tags

#3DBIM #BIM #Buildingmodelinginformation #projectdesign #Projetos #projetos3D #projetos4D