Planservice
Área Restrita English Português

Notícias - Gerenciamento de Projetos e Obras

Metodologias Ágeis de Projeto - Scrum

09/03/2016

O Scrum foi concebido como um estilo de gerenciamento de projetos para empresas de fabricação de automóveis e produtos de consumo, descrito por Takeuchi e Nonaka no artigo "The New Product Development Game" (Harvard Business Review, janeiro-fevereiro/1986). Eles perceberam que utilizando equipes pequenas e multidisciplinares (cross-functional) conseguiam melhores resultados em projetos, e associaram estas equipes altamente eficazes à formação Scrum do Rugby (utilizada para reinício do jogo em certos casos).

Jeff Sutherland, John Scumniotales e Jeff McKenna conceberam, documentaram e implementaram o Scrum na empresa Easel Corporation em 1993, incorporando os estilos de gerenciamento observados por Takeuchi e Nonaka. Em 1995, Ken Schwaber formalizou a definição de Scrum e ajudou a implantá-lo no desenvolvimento de softwares em todo o mundo.

Amplamente utilizado na área de Tecnologia da Informação, voltado para projetos de desenvolvimento de softwares. Atualmente vem sendo aplicado em diversas áreas como: Recursos Humanos, Finanças, Publicidade, Traduções de textos.

Enquanto o PMBoK (Project Management Body of Knowledge) é um guia de boas práticas, dividido em grupos e processos, o Scrum é um framework (estrutura) com cerimônias, artefatos e papéis definidos. Sendo uma estrutura, o Scrum permite adições e exclusões, desde que não interfiram em seus 3 princípios: Transparência, Inspeção e Adaptação.

O prazo é gerenciado a partir de uma lista de requisitos priorizados, que gera sprints (blocos de tempo). Cada sprint dura entre uma semana e um mês e é referente a uma única atividade (ou entregável). Ao invés de elaborar um cronograma detalhado utilizando os métodos PERT e CPM, o Scrum faz seu planejamento em ondas sucessivas. Ou seja, a cada etapa (Sprint) concluída, as etapas seguintes são planejadas novamente e de forma detalhada.

Em teoria, a equipe deve possuir até 12 pessoas, pois isso facilita a integração da mesma e permite a agilidade do projeto. A equipe deve comunicar-se diariamente e é formada por, pelo menos:

  • Scrum Master – figura similar ao gerente de projetos do PMBOK, responsável por manter os processos e fazer o contato entre o Product Owner e a equipe e remover os impedimentos à capacidade da equipe para entregar o objetivo do Sprint (etapa);
  • Product Owner (“Proprietário do Produto”) – figura que representa todos os interessados (stakeholders) e o negócio, é responsável por fazer a equipe e o projeto agregarem valor ao negócio;
  • Equipe de Desenvolvimento (Development Team) – formada por um grupo multifuncional entre 3 e 12 pessoas que realizam todas as atividades do projeto: análise, planejamento, desenvolvimento, implementação, testes, entre outros. Recomenda-se que a equipe seja auto-organizada e autoconduzida.

No Scrum adota-se a premissa de que um projeto grande demais deve ser quebrado em projetos menores, menos complexos e, portanto, mais fáceis de gerenciar. O Scrum tem foco no que é mais importante para o negócio e nem sempre no que é mais relevante tecnicamente, o que, às vezes, gera retrabalho, porém permite que um conceito seja testado antes de dar continuidade o projeto.

Uma característica do Scrum é não utilizar práticas de Gerenciamento de Riscos, utilizando apenas impedimentos (restrições) e lições aprendidas. Abaixo um gráfico exemplificando a forma de trabalho por ondas sucessivas do Scrum.


Artigos Relacionados

Assine a Newsletter

Se mantenha informado via e-mail, sobre os novos artigos da Planservice

Tags

#Gerenciamento #planejamento #planejamentodeobra #fiscalizacao #gestaodeprojetos #PMO #PMI #duedilligence #prazo #valoragregado #investimento #investimentos #investimentoimobiliario #fundosdeinvestimentos #investimentosimobiliarios #SucessoNoInvestimento #investimentoseguro #procurement #engenhariadecusto #controladoria #orcamentacaoecusto #licitacoesdeobra